Varejo dos ovos e do frango resfriado teve alta

No balanço da Cesta Básica, que acaba de divulgar, o Procon-SP informa que no ano passado “o preço médio da dúzia de ovos brancos registrou alta acumulada de 19,75%”, visto que seu preço subiu de R$5,52/dúzia em dezembro de 2018 para R$6,61/dúzia em dezembro de 2019.

Já em relação ao frango abatido o órgão de defesa do consumidor paulista concluiu que a alta foi de 16,93%, dado o valor médio do produto ter subido de R$6,38/kg em dezembro do ano retrasado para R$7,46/kg um ano depois.

Notar, aqui, que o Procon-SP adota como preços referenciais para o cálculo da média anual da cesta de varejo paulistana os valores levantados nos últimos dias de cada exercício, desconsiderando as variações ocorridas ao longo do ano. E, em alguns casos, isso faz grande diferença.

Caso do ovo, por exemplo. Mesmo tendo alcançado o maior valor do primeiro semestre em abril (final da Quaresma), o produto completou o primeiro quadrimestre de 2019 com um valor médio quase meio por cento inferior ao de idêntico período de 2018. E, a partir daí, entrou em um processo de estabilidade de preços raras vezes vista no setor e que se estendeu até o mês de novembro. Acumulava então (11 meses) uma variação positiva de pouco mais de 2%. Mas – ressalte-se – não porque seus preços tivessem aumentado e, sim, porque haviam enfrentado violento retrocesso em 2018.

Foi então que veio a crise no abastecimento das carnes, cujas altas começaram em outubro. A do ovo só veio em dezembro. Que também obteve significativa valorização – 8% de um mês para outro, uma das maiores variações do ano – e fez com que o produto alcançasse no varejo paulistano preço médio quase 20% superior ao de um ano antes .

Mas esse é, apenas, um incremento “ponta a ponta”. Porque, levando em conta as médias registradas em cada um dos 12 meses de ambos os exercícios, o preço médio de 2019 cai para R$6,03/dúzia, valor apenas 3,78% superior à média de 2018 que – pelo mesmo raciocínio – ficou em R$5,81/dúzia.

Curiosamente, o frango resfriado apresenta, ainda que por pequena diferença, situação inversa à apontada pelo Procon-SP. Ou seja: seu preço médio no ano foi quase 18,5% superior ao de 2018 (pelo Procon-SP, 16,93%).

Mas isso também ocorreu não porque o frango tenha registrado grandes elevações no decorrer do ano. Ao contrário, pois excetuado o elevado valor registrado em dezembro, permaneceu em relativa estabilidade em boa parte de 2019. Isso quer dizer, em outras palavras, que os quase 20% de aumento registrados resultaram, quase exclusivamente, de uma recuperação de preços em relação a 2018.

Fonte: Avisite